Política

Assuntos diversos, relacionados ou não ao motociclismo

Moderadores: Moderadores, Colaboradores, Administradores

Responder

Em quem você pretende votar para Presidente no 2° turno?

Esta enquete foi concluída em 31 Out 2010, 15:48

Dilma
4
25%
Serra
7
44%
Branco / Nulo
5
31%
 
Total de votos: 16
lcsm1966
Mensagens: 207
Registrado em: 30 Mar 2013, 18:53
Localização: Gravataí
Contato:

22 Jun 2013, 11:24

Eu acho esse cara o melhor periodista do Brasil.
Na vida e na moto, para manter o equilíbrio é necessário estar em movimento.
cros
Moderador
Mensagens: 10354
Registrado em: 15 Nov 2007, 23:55
Localização: Porto Alegre
Contato:

22 Jun 2013, 11:28

gildalfer escreveu: a cobiça internacional e colocar em risco a soberania brasileira sobre a exploração dessas reservas e até mesmo colocando o país em risco de sofrer uma intervenção militar americana direta ou indireta.
Soberanaia nacional?? A FIFA determinou um territorio em volta dos estadios, usando a policia contra a população!!
gildalfer escreveu: O que acontece é que Lula, comprometido com os interesses da Cabala Illuminati, indicou um operativo de uma das maiores empresas norte-americanas de logística para a apropriação e exploração de recursos
Lula é bolivariano comunista que historia é essa de iluminati??
Imagem
Hoje Falcon 2007
gildalfer
Mensagens: 2384
Registrado em: 22 Jul 2008, 00:23
Localização: Osório
Contato:

19 Jul 2013, 13:58

Escândalo na Petrobrás é Maior que o Mensalão.

A prosa é longa... mas interessante E ESCLARECEDORA....

O que realmente está acontecendo com a Petrobras e a mídia não fala? ( se puder confirme algo a respeito disto)


O Fim de Lula e Dilma: Escândalo Bilionário na Petrobras é Maior Que o Mensalão



Lula sujou as mãos na Petrobras

A compra da refinaria de Pasadena, no Texas, pela Petrobras é o grande escândalo que o PT vinha abafando, mas acabou chegando ao Tribunal de Contas da União e com largas chances de aterrissar na Justiça Criminal.



No início de 2005 a refinaria Pasadena Refining System, de Pasadena, no Texas, foi adquirida pela empresa belga Astra Oil Company, pela quantia de US$ 42,5 milhões; em setembro de 2006 a Astra alienou à Petrobras 50% da refinaria mediante o pagamento de US$ 360 milhões, ou seja, vendeu metade da refinaria por mais de oito vezes o que pagara pela refinaria inteira, um ano e meio antes. Não seria de estranhar, por conseguinte, que a Astra Oil Co. pretendesse vender os 50% que permaneciam no seu patrimônio. Ocorre que, por desentendimentos cuja natureza ignoro, a Astra ajuizou ação contra a Petrobras e nela a Petrobras teria sido condenada e, mercê de acordo extrajudicial, pagou à Astra US$ 820 milhões, pondo fim ao litígio.

O estranho negócio, que causou prejuízo de pelo menos US$ 1 bilhão à empresa e seus acionistas, tem como protagonistas pessoas muito próximas a Lula e, sob a ótica do escândalo, tem todos os ingredientes necessários para superar com folga o Mensalão do PT. No olho do furacão estão Guido Mantega, ministro da Fazenda e atual presidente do Conselho de Administração da Petrobras; José Sérgio Gabrielli de Azevedo, ex-presidente da estatal petrolífera e atualmente secretário no governo Jaques Wagner; Almir Guilherme Barbassa, diretor financeiro da empresa e presidente da Petrobras International Finance Co., a caixa de Pandora da empresa; Nestor Cerveró, diretor financeiro da BR Distribuidora; e Alberto Feilhaber, funcionário da Petrobras durante duas décadas e há alguns anos trabalhando na Astra Oil, uma das empresas do grupo que atraiu a Petrobras para a refinaria de Pasadena e depois largou a bomba nas mãos dos brasileiros.

Lula e Dilma Quebraram a Petrobras

O escândalo ganha contornos maiores e mais perigosos porque à época do negócio, que pode acabar em tribunal de Nova York a pedido de investidores internacionais, a presidente do Conselho de Administração da Petrobras era Dilma Rousseff, que posicionou-se contra o projeto apresentado por José Sérgio Gabrielli, seu desafeto, mas que por imposição de Lula foi obrigada a aceitar o negócio.

Com um terço do seu valor corroído nos últimos três anos e enfrentando sérios problemas de fluxo de caixa, inclusive com direito a atraso no pagamento de fornecedores, a Petrobras vem assustando o mercado financeiro, cujos analistas apostam em um rombo de alguns bilhões de dólares na estatal. Esse crime em termos de governança corporativa que o PT cometeu na Petrobras é infinitamente mais danoso do que a eventual privatização da empresa.

Acontece que nenhum ser humano minimamente lógico e dotado de inteligência, a ponto de ser guindado a cargos de direção em uma empresa como a Petrobras, aceita um negócio lesivo, como a compra da refinaria texana, sem que haja um plano diabólico por trás.

O Ministério Público Federal (MPF) já se debruça sobre o preâmbulo de uma ação que investigará casos concretos de superfaturamento em contratos firmados pela Petrobras durante a gestão de José Sérgio Gabrielli.

Na mira do MPF também estão outros escândalos envolvendo a Petrobras, como o da Gemini, empresa através da qual governo brasileiro repassou, não de graça, o monopólio de produção e comercialização de gás natural liquefeito (GNL) a uma companhia norte-americana.

MPF abre investigação sobre refinaria de Pasadena



O que realmente está acontecendo com a Petrobras e a mídia não fala.



4 dedinhos de prosa sobre a Petrobras – Uma visão Contábil, Econômica e sobre o Futuro

Publicado em Opinião
Dedinho de Prosa 1

Você lembra, há sete anos a nosso então presidente afirmando que, pela primeira vez na historia desse país, o Brasil alcançou a auto-suficiência na produção de petróleo ?

Eu lembro.

E qual é a verdade passados 7 anos ?

A verdade é que a Petrobras tem produzido cada vez menos, mesmo encontrando cada vez mais jazidas.

Só em 2012 o Brasil importou R$ 15 bilhões em derivados de petróleo.

Nesses mesmos 7 anos a balança comercial do petróleo e derivados apresentou um déficit

superior a R$ 57 bilhões. Para se ter uma ideia, esse número é maior do que os R$ 50 bilhões que o governo pretende investir esse ano em Infraestrutura.

Em 2012 a produção da Petrobras caiu 2%.

Começamos 2013 pior ainda: A produção de janeiro caiu 3,3% e fevereiro recuou 2,25%.

A Petrobras está “crescendo” que nem rabo de cavalo: pra baixo.


Dedinho de Prosa 2

Você lembra que a primeira coisa que o presidente Lula fez (depois de ter tomado um Romanée Conti) foi cancelar as compras das plataformas para a Petrobras que o antigo presidente tinha feito, pois era um absurdo comprar coisas do estrangeiro sendo que nossa indústria naval está sendo sucateada?

Eu lembro.

E qual a verdade passados 10 anos?

A verdade é terrível e passa pelo que esse governo aprendeu a fazer (não sei como): Maquiagem de balanço.

Esse governo atual levou a Petrobras ao limite máximo, e perigoso, de endividamento, ou seja quase 3 vezes a sua geração de resultados.

Assim, decidiram não mais endividá-la, contabilmente, e como cada plataforma custa R$ 3 bilhões cancelaram as compras nacionais, levando o SINAVAL – Sindicado Naval – a denunciar a perda constante de postos de trabalhos.

E como estão fazendo?

Simples!! Em vez de comprar, alugam. Assim, a contabilização é em despesa e não em passivo a pagar.

Mas quanto fica esse aluguel? Mais barato que comprar?

Em 2011 a Petrobras gastou R$ 4 bilhões em locação. Em 2012, R$ 6 bilhões.

Mas pelo menos contratou-se empresas brasileiras?

Todas as locações de plataformas são de empresas estrangeiras.

Na realidade não sei se isso é maquiagem do balanço ou maquiagem do destino final do

dinheiro.


Dedinho de Prosa 3

Você lembra que o PT, para ganhar as eleições, diz o tempo todo que é contrario às

privatizações? E que exemplo de gestão pública é o caso da Petrobras?

Eu lembro.

E qual é a verdade.

A resposta já seria fácil só pela simples leitura do acima. Mas deixem-me prosear mais um causo.

Em 2006 uma empresa belga comprou uma falida refinaria no Texas por US$ 42 milhões. Poucos meses depois essa empresa vendeu essa refinaria por US$ 1,2 bilhão. Adivinhe quem foi o felizardo comprador? Isso mesmo, a nossa Petrobras.

Passado pouco tempo, acredite, a Petrobras verificou que tinha feito um mal negócio e resolveu vender tal refinaria. Mandou avaliar. Foi avaliada por menos de US$ 100 milhões. Colocou a venda. O Tribunal de Contas da União resolveu investigar essas estranhas negociações que gerariam um prejuízo de mais de US$ 1 bilhão. A Petrobras suspendeu imediatamente a venda. Só no balanço do ano passado consta mais de R$ 450 milhões de despesas com essa estupenda refinaria.

Mas isso são negócios no exterior. Como são os negócios da Petrobras no Brasil? São rentáveis?

Mais ou menos.

O antecessor da Dilma, aquele aposentado por invalidez (lembra, aquele que não tinha um dedo), selou um acordo com outro ex-presidente, grande estadista, o Chávez (infelizmente esse já morreu), para construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, terra natal do vivente. Os dois calcularam, na ponta do lápis, o desembolso da Petrobras nessa Parceria: R$ 5 bilhões.

Qual a realidade atual?

O último relatório da Petrobras aponta um custo até hoje de R$ 35 bilhões.



Mais duas prosinhas:

Nas vésperas de eleições o nosso nordestino presidente lançou a construção de duas Refinarias Premiuns. Onde? Uma no Maranhão e outra no Ceará. E como estão? Projetos suspensos. Por que? Agora constatou-se que não há certeza da rentabilidade na operação dessas refinarias.

Vendo tudo isso, me rebelo: Deus foi injusto em levar o Chávez.
Dedinho de Prosa 4

Você lembra da cena daqueles 4 dedinhos sujos de petróleo? Aquele nosso ex-presidente em cima de uma plataforma sujando a mão no óleo (acho que foi a única vez na vida) para convencer os trabalhadores a retirarem o dinheiro do FGTS e investirem na Petrobras?

Eu lembro.

E o que aconteceu?

Os trabalhadores perderam 50% do patrimônio que retiraram do FGTS.

Mas como isso aconteceu?

O Mercado Financeiro, que não é controlado ou subornado por ninguém, começou a perceber que empresa é de fato a Petrobras e sua avaliação não para de cair.

O Mercado, e os investidores, perceberam que a empresa está sendo manipulada com intuitos puramente políticos, ou como “cabides de empregos” ou para mascarar a inflação, não reajustando seus preços a parâmetros internacionais.

Pior ainda.

A Petrobras ajuda nosso país vizinho, a Argentina, a aprimorar essa prática de mascarar a inflação.

Como assim?

Simples: na Argentina a gasolina é vendida nos postos a aproximadamente o equivalente a R$ 0,98 o litro (aqui você sabe que pagamos em média R$ 2,80).

Como consegue isso?

A Petrobras exportou, durante anos, para a Argentina gasolina a R$ 0,65. Detalhe: exporta gasolina limpa, sem misturas com álcool ou outros aditivos.

É por essas, e outras, que a Petrobras é uma amostra do que acontece na administração total do nosso país, inclusive levando o Brasil a registrar um déficit na balança comercial, no primeiro trimestre de 2013, de US$ 5,1 bi, algo que não acontecia há 12 anos.

Esse ano a Petrobras completará 60 anos. Teve como seu slogan mais forte: O Petróleo é Nosso.

A pergunta atual é: e o dinheiro vai pra quem?
Dedinho de Prosa 5

Pérai – estará dizendo meu infortunado leitor – o título preconiza 4 dedinhos de prosa e você chegou no 5 !!!

Pois é. Eu tenho 5 dedos em cada mão. Eu trabalho honestamente e não estou aposentado. E não poderia deixar de relatar minha visão sobre o futuro da Petrobras, sua atual direção e o pré-sal.

Atualmente a Petrobras e presidida por Graça Foster. Nasceu no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, começou a trabalhar com 21 anos como estagiária na Petrobras, formou-se em engenharia na Universidade Fluminense, foi promovida para engenheira de perfuração e hoje é presidente da Petrobras. Ah, quase esqueci o mais importante, de 2003 a 2005 acumulou também a função de secretária da Dilma.

Com essa vasta experiência acadêmica, profissional, internacional e de gestão, a Graça fechou o balanço da Petrobras de 2012 apresentando um Passivo a Pagar de R$ 332,3 bilhões, tendo apenas como Ativo Realizável R$ 118,1 bilhões. Ou seja, a Petrobras deve 3 vezes o que tem em caixa. Apresentou também em 2012 o menor lucro dos últimos 8 anos, R$ 20,9 bilhões, embora a receita bruta cresça em torno de 20% ao ano.

Diante desse cenário, a Graça resolveu “gerar” dinheiro, pois serão necessários para o pré-sal R$ 237 bilhões até 2016.

Tanto investimento no pré-sal, mas ele dará retorno?

Ninguém sabe.

Veja:

De 1980 a 2004, o barril de petróleo era negociado a US$ 40. De 2004 a 2009 a US$ 70 e hoje na casa do US$ 90. Mas essa cotação esta caindo pois as reservas mundiais de petróleo estão abarrotadas. Os EUA estão com o dobro da capacidade estocada. A tendência é de queda. Cada vez mais se descobrem, e são adotadas, novas alternativas energéticas.

Ai que mora o problema.

O petróleo do pré-sal custa em torno de US$ 50 a 70 para ser extraído.

E se o preço internacional cair abaixo disso? Gastaremos mais para vender por menos? E as outras soluções energéticas que estão chegando?

Mas a Graça tem que dar continuidade ao projeto, tem que gerar dinheiro. Mas como?

Vendendo os ativos da Petrobras, atitude essa como qualquer empresa em fase pré-falimentar faria.

Ah, vendendo ativos não operacionais e defasados?

Não!!

Vendendo tudo que gera energia renovável, como

parques eólicos, centrais hidrelétricas e termelétricas.

Mas isso tem lógica? Ela decide tudo isso sozinha?

Não!!

Ela recebe ordens do Presidente do Conselho de Administração da Petrobras: Sr.Guido Mantega.

E o Mantega responde a quem?

Bem, o chefe continua em plena atividade. Nos últimos meses, de jatinho particular, ele está “ajudando” o amigo Eike Batista e seu diretor Pires Neto (afastado no ano passado do

Ministério dos Transportes por escândalos ligados aos mensaleiros) a vender sondas petroleiras que a OGX comprou no exterior e que não tem utilidade. E o “coitado” do Eike pediu auxilio ao companheiro pois as ações da OGX já caíram 90% esse ano.

Adivinha como vão ajudá-lo? Adivinha para quem eles estão tramando a venda dessas inúteis sondas?

Petrobras.

O chefe deu mais ordens: Em agosto de 2012 a Dilma lançou o “pacote ferroviário” de R$ 91 bilhões. Teria como principal meta escoar o petróleo do pré-sal. Advinha qual foi o principal beneficiado com as primeiras estradas de ferro?

Eike Batista.

Pior. Além de utilizarem dinheiro publico para atender uma empresa privada, fizerem um acordo chamado Modelo Ferroviário.

Sabe como funciona?

Simples:

Por esse Modelo o Eike não precisará colocar nenhum centavo para o transporte. O governo pagará tudo. Funcionará assim: Uma empresa constrói as ferrovias; o governo compra toda a capacidade de transporte e repassa para as empresas interessadas em usar os trilhos. Se não houver demanda, ou se for parcial, o governo paga totalmente a conta.

Não é um excelente negócio?

Não para a Petrobras. Não para o Pais. E bom para……

Depois de relatar tudo isso, se você ainda estiver lendo, e eu puder dar um conselho antes das próximas eleições, ai vai:

Não compre ações da Petrobras.

Marco Antonio pint* de Faria

Bacharel em Ciências Contábeis, Administrador de Empresas, Auditor, Presidente e Fundador do Grupo SKILL composto por empresas atuantes no mercado há 34 anos, oferecendo serviços de Consultoria Tributária, Contabilidade e Tecnologia da Informação. Integrante do IBRACON – Instituto dos Auditores Independentes do Brasil.
Tio Giba
O encanto de viajar está na própria viagem (M.Quintana)
cros
Moderador
Mensagens: 10354
Registrado em: 15 Nov 2007, 23:55
Localização: Porto Alegre
Contato:

15 Ago 2013, 19:23

Acima de tudo que algum militonto desse des-governo possa dizer ou estar cegamente enganado, nunca se cometeu tantos erros economicos e politicos numa tacada só, e isso que são quase 12 anos de poder. Nem o mais burro dos criminosos consegue ficar 12 anos cometendo e erros primários assim.

Código: Selecionar todos

"Como conseguem?", por Carlos Alberto Sardenberg

15/08/2013 09:40

O Globo

 

Uma ironia: a ‘nova matriz’ do governo, alardeada pela presidente Dilma, se baseava em juro baixo e dólar caro, para ter crescimento elevado



É embaraçoso para o governo Dilma: como dizer que o automóvel particular a gasolina agora é o bandido, depois de ter passado anos dando-lhe tratamento de rei?



Não é modo de dizer. Os carros tiveram seus preços abatidos, via redução de impostos, e as montadoras locais foram apoiadas com proteção e financiamento subsidiado para aumentar a produção. Os compradores também foram brindados com enorme ampliação do crédito — nada menos que R$ 52 bilhões concedidos nos últimos dois anos.



De presente extra, a gasolina com o preço congelado e contido, para segurar a inflação e evitar a bronca dos motorizados.



Agradecidos, os brasileiros, especialmente os da nova classe média, foram à luta, quer dizer, aos bancos e concessionárias, e cumpriram sua obrigação de apoiar o crescimento do PIB. Saíram de carro por aí.



Infelizmente, a Petrobras não conseguiu entrar na festa. Sua produção de petróleo estagnou, as refinarias não deram conta da demanda, as novas refinarias estão atrasadas, de modo que a estatal precisou importar cada vez mais gasolina. E a preços não brasileiros, claro.



Não é de estranhar que o resultado tenho saído muito errado. A inflação continuou elevada e o crescimento permaneceu muito baixo. Sempre se pode dizer que tudo teria sido pior com a gasolina e os carros mais caros. Mas pior comparado com o quê? De todo modo, o fato é que muitas outras coisas também deram errado. A Petrobras, perdendo receita, sendo obrigada a vender gasolina mais barato do que importa, teve que se endividar. E as ruas ficaram congestionadas, pois não se investiu na infraestrutura necessária para acolher os carros e abrir caminhos para o transporte coletivo.



Como consertar isso, considerando ainda mais que a Petrobras precisa de dinheiro, muito dinheiro, para o pré-sal? E lembrando que o dólar caro veio para ficar?



Claro, precisa aumentar o preço da gasolina para turbinar as receitas da estatal. Quanto? Se for apenas para equilibrar o preço atual, pelo menos 20%. Se for para recuperar perdas passadas, uns 30%.



Mas isso jogaria a inflação de novo para cima do teto da meta — 6,5% — e provocaria uma justa bronca na classe média. Qual é? Não era para comprar carro?



Que tal, então, um aumento moderado para a gasolina e para o diesel? Ruim também. Talvez pior. Provocaria inflação de qualquer jeito — pois o índice está rodando em torno do teto —, não resolveria o caixa da Petrobras e deixaria todo mundo aborrecido.



E, para complicar, tem mais essa proposta do prefeito de São Paulo, Fernando Hadad, de colocar um imposto de 50 centavos por litro de gasoloina e usar todo o dinheiro para subsidiar e reduzir tarifas de ônibus. Para efeitos de índice de inflação, a redução da tarifa compensaria a alta da gasolina, mas vá explicar para o pessoal que está tudo bem com a gasolina a R$ 4,20.



Imaginem o impacto psicolólogico e social, pois a gasolina subiria em dose dupla, uma para a Petrobras, outra para os ônibus. E, como estes passam a ter prioridade, os brasileiros que micaram com os carros pagarão mais caro para ficar em congestionamento mais demorado.



Como o governo pode ter se equivocado tanto?



Seria uma pergunta cabível se o resto estivesse funcionando. Mas considerem apenas o que tem saído na imprensa nos últimos dias.



As usinas de Jirau e Santo Antonio, em construção no Rio Madeira, vão gerar uma carga de energia que não pode ser levada pela linha de transmissão projetada. Simplesmente queimaria tudo. A linha é insuficiente. Sabe-se disse desde 2010 — e ainda estão discutindo para descobrir de quem é a culpa.



Mas deve estar sobrando energia, não é mesmo? Usinas eólicas estão prontas e paradas há um ano, por falta de linhas de transmissão.



Há uma guerra judicial no setor elétrico, com o governo tentando empurrar para empresas a conta da energia produzida nas usinas térmicas.



Há milho para ser estocado, uma superprodução, e armazéns da Conab fechados por falta de manutenção ou porque estocam milho... velho.



Na política econômica, o Brasil é o único país importante que está subindo juros. É também o único emergente de peso que não pode se aproveitar do momento internacional para deixar a moeda local se desvalorizar o tanto necessário para dar muita competitividade às exportações.



Uma ironia: a “nova matriz” do governo, alardeada pela presidente Dilma, se baseava em juro baixo e dólar caro, para ter crescimento elevado. Pois, no momento em que o dólar sobe sozinho, por conta dos EUA, o BC brasileiro tem que elevar os juros e tentar segurar o dólar para controlar a inflação. E lá se vai o PIB.



Uma ironia pedagógica, se é que conseguem aprender com tantos equívocos.
Imagem
Hoje Falcon 2007
cros
Moderador
Mensagens: 10354
Registrado em: 15 Nov 2007, 23:55
Localização: Porto Alegre
Contato:

19 Ago 2013, 11:56

<object width="420" height="315"><param name="movie" value="//www.youtube.com/v/xIP4DgTYaTw?hl=pt_BR& ... ram><param name="allowFullScreen" value="true"></param><param name="allowscriptaccess" value="always"></param><embed src="//www.youtube.com/v/xIP4DgTYaTw?hl=pt_BR&version=3&rel=0" type="application/x-shockwave-flash" width="420" height="315" allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true"></embed></object>

http://www.youtube.com/watch?v=xIP4DgTYaTw
Imagem
Hoje Falcon 2007
gildalfer
Mensagens: 2384
Registrado em: 22 Jul 2008, 00:23
Localização: Osório
Contato:

29 Ago 2013, 19:13

Atentem para esse rol de excrescências,que passam batidas pelo povo,desconhecedor da maior parte delas.Nas manifestações de rua,nem sequer as nomeiam.Sem reação e com omissão nada será feito;tudo continuará como dantes,com tendência a piorar!









O Brasil de hoje....






O novo ministro, Barroso, disse que o julgamento do mensalão foi um ponto fora da curva, dando vazão à sua alma de defensor, em vez de execrar o crime, como fizeram os ministros do STF, citando que aquele foi o mais atrevido e escandaloso ato de corrupção pessoal, política e partidária nunca antes ocorrido na História deste país!



Entretanto, mais do que um ponto, o Brasil tem, na verdade, uma constelação de pontos fora da curva. Dos muitos, podemos vozear alguns, como:



- 39 ministérios, uma verdadeira ineficácia administrativa, um sorvedouro de gastos com pessoal e material, para contemplar uma coalizão oportunista, inconfiável, escorregadia, unicamente com propósitos de obter minutos de propaganda eleitoral, pois, como se tem visto, os interesses pessoais dos congressistas falam mais alto;



- senador suplente, eleito sem voto, uma aberração democrática; e deputados com raríssimos votos, eleitos por quociente eleitoral do partido;



- voto secreto no Congresso, outra excrescência;



- prescrição e progressão da pena; foro privilegiado, pena máxima de 30 anos, extinção de punibilidade para quem tem mais de 70 anos; um estímulo ao crime e aos agravos, embargos e recursos procrastinatórios;



- princípio de inocência, o que faz, por exemplo, que um assassino, mesmo condenado em júri popular seja inocente até o trânsito em julgado, e fique em liberdade apto a cometer novos crimes, em que será considerado primário;



- juízes corruptos simplesmente aposentados, quando deveriam ser demitidos e processados, como qualquer criminoso;



- assistência médica vitalícia no Senado, que ampara senadores, ex-senadores e seus familiares, mesmo que o senador tenha permanecido apenas um dia no cargo;



- fiscais da Receita Federal deduzindo no IR todo o gasto em educação, enquanto os demais contribuintes só podem deduzir os gastos até o limite de R$3 mil;



- a soja do Centro-Oeste descer, por rodovia, até os portos de Santos e Paranaguá, e depois subir por navio para os portos asiáticos e europeus, quando já podia subir direto para o Norte, para os portos de Santarém e Itacoatiara, por hidrovias e mesmo rodovias, muito mais perto do destino final, com consequente redução do frete, do custo de combustível e desgaste das estradas;



- as cinco bitolas da malha ferroviária brasileira e a divisão das malhas por diversas concessionárias, o que dificulta a integração de linhas e o tráfego mútuo, estrangulando o modal;



- juízes e tribunais se autoconcedendo auxílio-alimentação, beneficio criado para favorecer trabalhadores de menor poder aquisitivo, e não a essa privilegiada classe. E, pior: retroagindo, inclusive a aposentados, embora seja um benefício exclusivo a quem está ativo, e nenhum deles ter deixado de se alimentar por falta de dinheiro;



- enquanto os 200 milhões de brasileiros ocupam 2,5% do território nacional, os cerca de 800 mil índios dispõem de 13% do território só para eles (cerca de 110 milhões de hectares). São, dessa forma, os maiores latifundiários do país, embora continuem pobres e carentes, mesmo dispondo de mais de cem mil ONGs (uma para cada oito índios) a eles devotadas;



- índios e integrantes do MST, muitos nem índios e nem agricultores, mas desempregados e indolentes de todos os tipos, inclusive estrangeiros, invadindo, depredando e incendiando propriedades legais e pagadoras de impostos, sem que nada aconteça a eles, consubstanciando um inaceitável privilégio em comparação com o cidadão submetido ao império da lei, como deve ser num estado democrático de direito;



- o país, apesar de índices econômicos pífios, em evidente escalada inflacionária e descontrole fiscal, e com ameaça de rebaixamento de sua classificação de risco, vê a presidente se preocupar menos com isso do que com a sua reeleição;



- O Brasil perdoando dívidas de outros países, enquanto não perdoa os aposentados e não reajusta a tabela do Imposto de Renda, perversa para com os assalariados de todas as classes;



- a população decente e trabalhadora de joelhos perante o crime, que já se incorporou à rotina diária dos brasileiros;



- órgãos governamentais nacionais e estrangeiros de direitos humanos protegendo bandidos, em vez de as vítimas;



- política externa terceiro-mundista e socialista/comunista, com parceiros manifestadamente com estilos e aspirações autoritárias e retrógradas; encanto com ditaduras e ditadores de esquerda;



- a Universidade Federal de Ouro Preto, mantida com dinheiro público, abrigando um Centro de Difusão do Comunismo, com curso com finalidade de implantação do comunismo no Brasil;



- uma PEC do conluio, em que um se ausenta e se omite, para que outro a promulgue e crie novos tribunais, com gastos palacianos, quando a Justiça precisa mesmo é de um choque de racionalidade e modernidade, com processos enxutos e ágeis;



- as novas PEC contra a moralidade, a criação de novos municípios e o impedimento de que o Ministério Público faça investigações;



- a babel salarial entre os Poderes, com salários desiguais mesmo para os mesmos cargos e qualificações; teto salarial desrespeitado, por aceitação de penduricalhos de todos os tipos, como diferenças individuais incorporadas indevidamente, o que cria os marajás do serviço público;



- excesso de ONG, muitas inidôneas, recebendo recursos....públicos!;



- cargos de confiança, em detrimento de concursos públicos;



- uso de notas frias para justificar uso de verbas indenizatórias no Congresso, a maioria para despesas pessoais;



- funcionários fantasmas, e garçons ganhando R$15 mil no Congresso, muitos nomeados por atos secretos;



- receio de promover plebiscito sobre a diminuição da maioridade penal, mesmo para crimes hediondos; liberdade assistida a menores infratores;



- celulares nos presídios;



- aposentadoria sem contribuição anterior;



- cartões corporativos e gastos da Presidência da República considerados assunto de Segurança Nacional;



- asilo a bandidos internacionais e liberdade aos nacionais;



- livros escolares nas escolas públicas exaltando o comunismo;



- pagamento a funcionários do Congresso de horas extras..... não trabalhadas!;

- o governo do Rio Grande do Sul hospedando, com recursos públicos, terroristas das FARC;



- o déficit comercial brasileiro, permanecendo fiel a um Mercosul debilitado (o Paraguai e Uruguai, dois dos cinco sócios, já pediram status de observadores na Aliança do Pacífico, formada por Peru, Chile, Colômbia, México e Costa Rica), e com exagerada paciência estratégica com a Argentina, que nos impõe sistemáticas dificuldades de colocação de nossos produtos;



- o crescente consumo de cocaína e crack no país;



- as trapalhadas da Caixa e a ideologia da FUNAI;



- prevalência do pragmatismo político em vez de do princípio ético, como, por exemplo, o presidente da FIESP, meca do capitalismo, filiado ao Partido Socialista Brasileiro, o que demonstra que o proveito e a ambição estão à frente do princípio;



- Congressos de juízes e desembargadores financiados por empresas particulares;



- bolsas de todos os tipos, especialmente compradoras de votos, como as incríveis bolsas a ex-campeões do mundo de futebol e a recente bolsa-estupro!, sem falar nas que cooptam empresários, vindas do BNDES, a juros extremamente bondosos;



- ........................................................................



Apesar desses, ainda há muitos e muitos pontos fora da curva, uma verdadeira constelação, a desafiar a ética e a dignidade deste país, mais importantes do que as próprias penas do mensalão, pois os condenados, mesmo com a colocação delas dentro da piedosa curva do ministro, já se tornaram verdadeiros mortos-vivos, alvos da reprovação e escárnio popular, prisioneiros dentro de suas próprias casas, mesmo que seja a casa do Congresso, refúgio de discutível hombridade.



São tantas manifestações populares que não nos levam a nada, tais como: Parada do Orgulho Gay, Marcha para Jesus, dentre outras. Porque não organizarmos uma manifestação séria, cívica, cobrando das autoridades uma postura real de “Homens Públicos” exigindo transparência no gasto do dinheiro público, punição para os corruptos, e, principalmente, uma reformulação no código penal, e a lei de execução penal, reduzindo a idade para criminosos já a partir dos 12 anos completos e extinguindo a progressão da pena ???



Hoje, no Brasil, o caos está definitivamente instalado. Podemos, com segurança afirmar que o Brasil, no atual momento, é “TERRA DE NINGUÉM” !!!





“No Brasil, nem a esquerda é direita”.

___________________________



Luiz Sérgio Silveira Costa é Almirante Reformado.
Tio Giba
O encanto de viajar está na própria viagem (M.Quintana)
gildalfer
Mensagens: 2384
Registrado em: 22 Jul 2008, 00:23
Localização: Osório
Contato:

06 Set 2013, 23:04

A NOSSA LIBERDADE
(GEN. PAULO CHAGAS*)
clip_image002
Liberdade para quê?
Liberdade para quem?
Liberdade para roubar, matar, corromper, mentir, enganar, traficar e viciar?
Liberdade para ladrões, assassinos, corruptos e corruptores, para mentirosos, traficantes, viciados e hipócritas?
Falam de uma “noite” que durou 21 anos, enquanto fecham os olhos para a baderna, a roubalheira e o desmando que, à luz do dia, já dura 26!
Fala-se muito em liberdade!
Liberdade que se vê de dentro de casa, por detrás das grades de segurança, de dentro de carros blindados e dos vidros fumê!
Mas, afinal, o que se vê?
Vê-se tiroteios, incompetência, corrupção, quadrilhas e quadrilheiros, guerra de gangues e traficantes, Polícia Pacificadora, Exército nos morros, negociação com bandidos, violência e muita hipocrisia.
Olhando mais adiante, enxergamos assaltos, estupros, pedófilos, professores desmoralizados, ameaçados e mortos, vemos “bullying”, conivência e mentiras, vemos crianças que matam, crianças drogadas, crianças famintas, crianças armadas, crianças arrastadas, crianças assassinadas.
Da janela dos apartamentos e nas telas das televisões vemos arrastões, bloqueios de ruas e estradas, terras invadidas, favelas atacadas, policiais bandidos e assaltos a mão armada.
Vivemos em uma terra sem lei, assistimos a massacres, chacinas e sequestros.
Uma terra em que a família não é valor, onde menores são explorados e violados por pais, parentes, amigos, patrícios e estrangeiros.
Mas, afinal, onde é que nós vivemos?
Vivemos no país da impunidade onde o crime compensa e o criminoso é conhecido, reconhecido, recompensado, indenizado e transformado em herói!
Onde bandidos de todos os colarinhos fazem leis para si, organizam “mensalões” e vendem sentenças!
Nesta terra, a propriedade alheia, a qualquer hora e em qualquer lugar, é tomada de seus donos, os bancos são assaltados e os caixas explodidos.
É aqui, na terra da “liberdade”, que encontramos a “cracolândia” e a “robauto”, “dominadas” e vigiadas pela polícia!
Vivemos no país da censura velada, do “micro-ondas”, dos toques de recolher, da lei do silêncio e da convivência pacífica do contraventor e com o homem da lei.
País onde bandidos comandam o crime e a vida de dentro das prisões, onde fazendas são invadidas, lavouras destruídas e o gado dizimado, sem contar quando destroem pesquisas científicas de anos, irrecuperáveis!
Mas, afinal, de quem é a liberdade que se vê?
Nossa, que somos prisioneiros do medo e reféns da impunidade ou da bandidagem organizada e institucionalizada que a controla?
Afinal, aqueles da escuridão eram “anos de chumbo” ou anos de paz?
E estes em que vivemos, são anos de liberdade ou de compensação do crime, do desmando e da desordem?
Quanta falsidade, quanta mentira quanta canalhice ainda teremos que suportar, sentir e sofrer, até que a indignação nos traga de volta a vergonha, a auto estima e a própria dignidade?
Quando será que nós, homens e mulheres de bem, traremos de volta a nossa liberdade?

* Paulo Chagas é General da Reserva
do
Exército do Brasil.
08-06-2013
Tio Giba
O encanto de viajar está na própria viagem (M.Quintana)
gildalfer
Mensagens: 2384
Registrado em: 22 Jul 2008, 00:23
Localização: Osório
Contato:

06 Out 2013, 19:52

STF- UMA QUADRILHA DECLARADA.



Finalmente, os verdadeiros quadrilheiros se mostraram. São piores que os comunas sórdidos do nosso país. Eles estudaram, se formaram, sabem perfeitamente o que estão fazendo. São juízes do STF, órgão Máximo do Poder Judiciário. Qualquer pessoa, mesmo um analfabeto ou elemento com um mínimo de estudos, ou uma criança jogadora de vídeo game, sabe que os ladrões, os corruptos para praticarem crimes formam quadrilhas. Não imaginam nunca que cada um aja independente.

Pois bem, 4 (quatro) juízes do Supremo Tribunal Federal não acreditam que os mensaleiros, que praticaram crimes hediondos, repugnantes contra a nação brasileira, formaram quadrilha... Toda a conspiração, toda a velhacaria constam dos autos.

A demora do julgamento está cada vez mais lenta, por esse motivo, dois juízes afastaram-se por idade. Suas vagas foram preenchidas por outros dois juízes, tão “inocentes” ou ignominiosos, que também não acreditam que existiu formação de quadrilha.

“Não houve formação de quadrilha, nos crimes de corrupção do mensalão.” Apesar do próprio STF já ter, por maioria de 5 a 4, condenado os envolvidos.

Começar tudo de novo – os marginais da gangue do governo não irão para a cadeia. Os votos infringentes atestarão que não houve quadrilha. O bando de ladrões, ligado ao governo de corruptos e canalhas, terá sua pena reduzida.

Daí, meus amiguinhos, o STF conseguiu formar a sua verdadeira quadrilha, tornando-se o terceiro e último Poder da nação a ficar corrompido, sem credibilidade, à mercê do governo de um semianalfabeto dirigente de uma guerrilheira apátrida.

São seis contra cinco. E quem pode afirmar que esses cinco, ou alguns deles, não são tão “inocentes” quanto esses seis quadrilheiros. Homens que deixaram de ter compromisso com a verdade e venderam as suas almas a corruptos repugnantes.

A esperança de um país soberano, livre e de respeito, está, cada vez mais, perdendo a luminosidade. As trevas já tomaram conta do Executivo, já se apossaram do Legislativo e, agora, estão prestes a levar à noite escura, sem luar, sem estrelas e repleta de cúmulos-nimbos ao Judiciário.

O STF, órgão do mais alto saber jurídico (presumia-se), prova em caráter oficial que não houve quadrilha no mensalão... Que tristeza!.. Procuremos olhar nos olhos de cada um dos juízes, quando proferirem seus pareceres no julgamento dos votos infringentes.

Como a esperança nunca deixará de existir, com certeza, antes do brasileiro perder a liberdade, o Povo, os homens de Bem, nunca deixarão a escuridão absoluta envolver o nosso querido Brasil.

Há que se ter Fé!

Não Esmorecer Jamais!
Tio Giba
O encanto de viajar está na própria viagem (M.Quintana)
gildalfer
Mensagens: 2384
Registrado em: 22 Jul 2008, 00:23
Localização: Osório
Contato:

20 Out 2013, 22:25

84% clamam: VOLTA LULA!


PARA QUE O MAL TRIUNFE, BASTA APENAS QUE OS HOMENS BONS CRUZEM OS BRAÇOS. (Edmund Burke)


VOLTA LULA! Veja porque...É muito certo !!! Reflita e responda : há coerência?


PARA QUE O MAL TRIUNFE, BASTA APENAS QUE OS HOMENS BONS CRUZEM OS BRAÇOS. (Edmund Burke)


VOLTA LULA! Veja porque...É muito certo !!! Reflita e responda : há coerência?





Como disse Marcelo Madureira: “Vai demorar gerações para corrigir o mal que esse picareta fez ao Brasil, principalmente à juventude.”
É só andar pelas ruas de qualquer cidade para comprovar essa declaração.


O prolongado silêncio do mais falante ex presidente, a fabulosa participação popular nas ruas e a providencial presença do Papa, encarnação viva da maioria cristã no Brasil, referendaram o colossal clamor do: VOLTA LULA!

84% CLAMAM: VOLTA LULA!

VOLTA LULA! e traga de volta as DUAS REFINARIAS que VOCÊ DOOU para a BOLIVIA!
VOLTA LULA! e traga de volta os 1,2 BILHÕES DE DÓLARES que VOCÊ “EMPRESTOU” para HUGO CHAVEZ!
VOLTA LULA! e traga de volta os BILHÕES DE DÓLARES que VOCÊ MANDOU para CUBA, HAITI E OUTROS QUE AQUI TAMBÉM TEM CRIANÇAS MORRENDO DE ANEMIA
VOLTA LULA! e traga de volta os 10,6 BILHÕES DE REAIS que VOCÊ EMPRESTOU para o EIKE BATISTA (SEU TESTA DE FERRO) E QUE AGORA ESTÁ EM SITUAÇÃO PRÉ-FALIMENTAR!
VOLTA LULA! e traga de volta os 25 MILHÕES DE EUROS que VOCÊ LEVOU com a ROSE para PORTUGAL
Volta Lula, e explica o MENSALÃO;
Volta Lula, e explica o fenômeno “ROSE”;
Volta Lula, e explica os 6.000 médicos cubanos;
Volta Lula, e explica a falência do SUS;
Volta Lula e explica onde foi parar a reabilitação da industria naval brasileira
Volta Lula e explica os 4,8 bilhões gastos na transposição do Rio São Francisco
Volta Lula, e explica os 0,20 centavos mais caros do planeta;
Volta Lula e explica os 39 ministérios;
Volta Lula, e explica a falência da Petrobras;
Volta Lula e explica os 20% de inadimplênciado programaeleitoral "minha casa minha vida" que os brasileiros que trabalham terão que pagar. Observe também que a taxa de inadimplênciade 16% gerou a crise imobiliária de 2007 dos Estados Unidos.
Volta Lula e explica o que aconteceu com o óleo de mamona que ia ser a independência energética do Brasil
Volta Lula, e explica, o PRE-SAL;
Volta Lula, e explica essa sua criação, o poste “DILMA” que você plantou em Brasilia...
Volta Lula e explica como você fez para nomear oito ministros do supremo, coisa que nem presidente militar conseguiu.
Volta Lula e explica porque o ministro do supremo Roberto Barroso passou a semana passada (16 a 21/9/013) tentando explicar o contrato milionário que o governo por meio da Eletronorte, concedeu recentemente sem licitação, a seu escritório de advocacia do Rio de Janeiro.
Milhões de Brasileiros estão decepcionados: O LULA ESTÁ MUDO!
Todos sabem que, se o Lula se explicar, O PT E OS ALIADOS SERÃO TRANCAFIADOS!
Tio Giba
O encanto de viajar está na própria viagem (M.Quintana)
gildalfer
Mensagens: 2384
Registrado em: 22 Jul 2008, 00:23
Localização: Osório
Contato:

26 Out 2013, 08:45

Paulo Metri – conselheiro do Clube de Engenharia



Na década de 1990, auge do período neoliberal, Betinho escreveu um capítulo do livro “Em defesa do interesse nacional”, cheio de ironia e bom humor mas, muito sério, intitulado “Como matar uma estatal”. No capítulo, ele descreve todas as ações que um “bom administrador” deveria tomar para atingir seu objetivo de matar a estatal. Nos dias atuais, se ainda estivesse entre nós, ele talvez escrevesse sobre como matar o setor de petróleo. Imaginamos que o novo texto ficaria da seguinte forma:

Cria-se um arcabouço jurídico e institucional, que privilegia a competição, não importando se os agentes econômicos são nacionais ou estrangeiros. O fato de ser nacional não significa que deva ter algum privilégio em qualquer disputa.

O petróleo, o gás natural e os derivados devem ser considerados como simples commodities, que não possuem valor geopolítico e estratégico algum, ou seja, não possuem nenhuma atração além da rentabilidade.

Promovem-se leilões em que um único pagamento inicial pode definir a permanência de empresas produzindo petróleo em uma área durante até 35 anos, pagando parcelas mínimas de royalties e, quando for o caso de altas produções, de “participações especiais”.

Facilita-se ao máximo a entrada de bens e serviços estrangeiros no setor, a pedido das empresas petrolíferas estrangeiras, isentando-os de impostos e taxas, que os nacionais não têm.

A cada oportunidade de fala à imprensa, deve-se realçar que as decisões da diretoria do órgão regulador são técnicas, significando que ele verifica a competição e o desempenho das empresas. Nunca se toma uma decisão com o singelo argumento que ela irá beneficiar a sociedade brasileira. O órgão regulador não é um órgão que deve implantar políticas públicas, nem deve levar em conta nas suas decisões que o Brasil é um país em desenvolvimento, com características culturais específicas e inserido no espaço geopolítico mundial.

Doma-se a estatal do setor, para, amofinada, não participar de leilões e permitir a entrega rápida de blocos para as empresas estrangeiras. Mas ela deve participar de um mínimo de leilões de blocos, para não poderem identificar a estratégia de entrega do subsolo nacional.

Escolhe-se um administrador para regular o setor, que diminua ao máximo o risco dos agentes econômicos, usando a União como colchão amortecedor dos riscos empresariais, garantindo, desta forma, a atratividade dos leilões de áreas petrolíferas e comprometendo a arrecadação de tributos do setor.

Todos os administradores deste modelo devem recriminar, claramente, a fase anterior do monopólio estatal, classificando-a de jurássica e nunca entrando no debate dos benefícios e comprometimentos de cada modelo. Inclusive, só os supostos malefícios do monopólio devem ser denunciados, sistematicamente.

A mídia comercial deve ser “comprada” pelos agentes econômicos do setor, exceto a estatal. Obviamente, as notícias serão filtradas para transmitirem só os interesses das empresas estrangeiras.

Notícias ruins da empresa estatal devem ser privilegiadas para irem para a “mídia vendida”. Quanto mais notícias deste tipo “vazarem“, mais os papéis desta empresa irão cair, o que é desejado. Tudo isto para prepará-la para uma privatização futura, quando ela voltará a ser administrada “tecnicamente” e será eficiente. Não falam, mas se referem a uma “eficiência” sob o ponto de vista de remessa de dividendos para os acionistas, principalmente os estrangeiros. Não se trata de uma “eficiência social”.

Entrega-se uma parcela dos royalties para estados e municípios, para existirem adesões cegas ao modelo completo, graças a só um artigo da lei, o dos royalties.

Colocam-se recursos do Fundo Setorial do Petróleo para professores administrarem cursos e programas sobre o petróleo com viés neoliberal, o que deixa alguns membros da academia felizes.

Quando um campo gigante for descoberto pela estatal, ele deve ser rapidamente retomado pelo órgão regulador, para fazer um mega-leilão de petróleo, com endereço conhecido, para o governo de contadores fechar as contas e para a felicidade do Império.

Depois de 20 anos de aplicação destes princípios, os mais jovens, sem possibilidade de comparação com outro modelo e com a mídia os alienando, estarão dominados. Os poucos conscientes remanescentes, que presenciaram os benefícios do monopólio estatal para um país em desenvolvimento como o Brasil, estarão aposentados ou mortos. Neste momento, o golpe fatal pode ser dado com a privatização da Petrobras.
Tio Giba
O encanto de viajar está na própria viagem (M.Quintana)
Responder