Projeto de Lei cria três categorias para habilitação de moto

Assuntos diversos relacionados ao motociclismo

Moderadores: Moderadores, Colaboradores, Administradores

Responder
Avatar do usuário
Bonetto
Mensagens: 166
Registrado em: 27 Mar 2012, 17:37
Localização: São Paulo
Contato:

15 Abr 2012, 14:58

Pessoal, pelo que entendi, na lógica do deputado a lei vai incluir subcategorias também para os carros, certo!!! rsrsrsr Afinal me lembro bem de várias ocorrências com filhos de ********* e até os próprios que dirigindo carros potentes se envolveram em acidentes com vitimas fatais... Acho que essas subcategorias não vão resolver nada, precisamos mesmo é de Educação e não é só no trânsito.
BetoCB
Mensagens: 792
Registrado em: 22 Nov 2009, 19:55
Localização: São Paulo

15 Abr 2012, 16:12

Acabei de tirar um f.d.p. da frente da minha garagem
Se é garagem porque parar na frente? Se é novo de carta porque comprar uma super moto? Tudo é coerencia e isto o brasileiro não tem.
Sempre tive a idéia de que deveria existir a materia escolar "educação no transito", onde desde o primário a pessoa já começaria a ter noções de transito e condução de veiculos.
Ando de moto, dirijo carro e caminhão, ando de bicicleta e vejo motoristas, motociclistas, caminhoneiros e ciclistas fazendo uma besteira atrás da outra.
Quer saber se há vida após a morte? Mexa na minha moto.
Avatar do usuário
BarãoRS
Mensagens: 197
Registrado em: 04 Out 2010, 22:47
Contato:

15 Abr 2012, 19:53

Via de regra os congressistas promovem leis novas apenas para criar mais receita para o já absurdamente rico Estado Brasileiro (roubando dinheiro do seu pobre povo - Estado rico, povo pobre, já vimos este cenário em outros lugares e épocas na história mundial, foi causa de algumas revoluções...)
Leis novas realmente úteis temos tido apenas aquelas de iniciativa popular (vide a da ficha limpa), as outras no geral não tem acrescentado nada de útil à sociedade.
Este nobre deputado demonstra total desconhecimento do assunto motocicleta e trânsito, não deveria jamais se pronunciar sobre o tema, pois silenciar sobre o que não se conhece é a melhor forma de agir.
É uma pena não termos Poder Legislativo de fato aqui no Império da Corrupção, o que se vê é uma nuvem indefinida de pessoas que é comprada pelo Poder Executivo (com a nossa grana...)
Abs,
MT.
Avatar do usuário
aktu
Mensagens: 60
Registrado em: 21 Mai 2012, 10:32
Localização: Nova Odessa

12 Jun 2012, 22:52

Bem, deixe-me dar meu pitaco como um motociclista de 1 mês:

Rodei de carro por mais de 400.000km até hoje. Só agora decidi tirar carteira de moto e já peguei direto uma 750. Tenho certeza que dirijo de forma muito mais prudente que a maioria desses "motociclistas" loucos que vemos por aí.

Nesses 400k km de carro posso dizer que já peguei raiva de certos tipos de motociclistas(motoqueiros, sei lá), em especial aqueles que rodam no dito "corredor". Acho até que, quando o trânsito está parado, não há problemas de, com muito cuidado, utilizar o corredor para EVITAR outras situações de perigo. Mas sinceramente, o que eu vi hoje na pista, quando vinha trabalhar, foi um absurdo: transito a 80km/h e uns idiotas pegando corredor a 110km/h, tantando "vazar" por tudo quanto é brecha, entre carros e caminhões.

Me desculpem aqueles que defendem essa prática, respeito a opinião de cada um, e também por isso que sinto a liberdade de expressar a minha: P0rr4, se nos ensinam que não pode ultrapassar pela direita, não tem como usar o corredor!!! Se você correr igual a louco pelo corredor, está ultrapassando pela direita muitos carros e ainda tirando fina deles! É sim uma situação de perigo que o motocilista está criando para ele mesmo. E o pior que esse %$#!@ ainda quer passar essa responsabilidade para o motorista de carro, o que é um absurdo!

Se você roda igual a louco no corredor, assuma toda a responsabilidade por tal ato e boa! Da mesma maneira que um motorista que roda em alta velocidade tem que assumir o risco de bater na traseira de outro veículo, assim como aquele que ultrapassa pela direita tem que assumir a responsabilidade de eventual acidente, e até mesmo aquele pedestre que se arrisca a correr por uma rodovia, em contraposição de usar a passarela, tem que assumir a responsabilidade pelo risco de virar bagaço quando um caminhão passar por cima dele.

Em fim, a verdade é uma só: o que falta nesse pais é se fazer cumprir as leis! Fez cagad* tem que pagar.. e pagar caro! Fez merd*, tem que ir preso!

Abraços,

E me desculpe se ofendi alguém. Não foi minha intensão.

Ariel
===================
Shadow 750 2008
liquuid
Mensagens: 153
Registrado em: 22 Nov 2011, 22:24
Localização: São Paulo
Contato:

13 Jun 2012, 06:46

Já dei minha opinião nesse tópico, mas vou reforçar meu ponto de vista. Uma custom de 1000cc é bem diferente de uma speed de 1000cc, enquanto uma chega a uns 180km/h de forma perigosa, a outra chega a 300km/h sem tremer o guidão... As speeds pedem velocidade, foram feitas pra correr, as custons nem tanto.
Colocar as custons e as speeds na mesma categoria é muito injusto, tenho 6 meses de carta, e minha primeira moto tem 800cc,a única diferença que vejo dela pra CG que fiz aula é que uma moto maior é melhor e mais segura em todos os aspectos.
Acho que a categoria não deveria ser feita com base no tamanho do motor, mas na velocidade final.
Tio Rato
Mensagens: 290
Registrado em: 13 Jul 2011, 13:57
Localização: Guarulhos
Contato:

13 Jun 2012, 09:52

E aí pessoal... ??

Lendo tudo que já foi dito aqui, o meu pitaco é o seguinte:

Moto não anda sozinha. Não importa a potência ou tecnologia de nossas máquinas. O que aprendemos nos cursos práticos, é apenas nos equilibrarmos e como se faz pra colocar a moto em movimento...

E todo o resto do curso ??? Condução segura... legislação... Placas...

Pra que serve tudo isso ??? Minha habilitação não é rescente, mas acredito que ainda hoje conste no 'livrinho' de que as motociletas devem ocupar o espaço de um carro no trânsito...

Corredor facilita? Sim! Vamos utilizá-lo? Sim! Mas... não é pista, muito menos espaço reservado para motos... é APENAS um espaço em que é possível transitarmos, por estarmos com veículos menores, em velocidades baixas, com cuidado... porque se uma infeliz criatura, não nos der o espaço ou abrir a porta por qualquer motivo imbecil, temos tempo de brecar (outro item que a maioria dos 'cachorros loucos' esqueceram que existe), e não ficar criando caso com motoristas, quebrando retrovisores, olhar torto e tal...

Vamos respeitar para que possamos aos poucos sermos respeitados. O exemplo tem que partir de algum lugar.

Abraço!
Tio Rato - TAMT
Imagem
Tio Rato
Mensagens: 290
Registrado em: 13 Jul 2011, 13:57
Localização: Guarulhos
Contato:

13 Jun 2012, 10:06

Quanto a divisão da categoria A, problemas e gastos pra quem anda com motos maiores... as estatísticas do nobre deputado e assessoria, vai continuar na mesma, considerando que os acidentes continuarão da mesma forma; o fato de que o motociclista tenha uma habilitação categoria A3 não quer dizer que ele esteja imune a acidentes...
No caso do projeto desse deputado, se passar, ele não é o único ignorante no processo. Existem todos os envolvidos nos trâmites até a votação. Existem as Comissões, formadas por outros deputados e as vezes alguns técnicos, que opinam sobre a redação, sobre constitucionalidade e outras coisas... e acima de tudo, os acordos políticos, acertados para se votar projetos pra esse ou aquele político... o que menos importa, é se a lei vai pegar ou não. brazilzão!
Abraço!!!
Tio Rato - TAMT
Imagem
DehCarmo
Moderador
Mensagens: 1058
Registrado em: 30 Out 2010, 11:18
Localização: Blumenau
Contato:

14 Jun 2012, 22:34

Minha humilde opinião é que não recebemos cultura suficiente pro cidadão saber onde pode andar, em alta ou baixa velocidade, em segurança. O risco que corre é problema seu, mas colocar em risco os outros veículos, sejam motos, carros ou qualquer outro tipo, é imprudência, atentado a vida e deveria ser punido como tal. Mas é evidente que ninguém pensa nos outros quando está atrás do volante ou do guidão. E tampouco os governantes, legisladores e autoridades pensam em mudar essa condição! Agem com medidas que talvez amenizem o problema sem resolver de fato a sua causa. E assim acabam por causar mais problemas que efetivamente solucionar a situação.

Abraços!
André

Imagem
Responder