FX Deuce: MITOS - Um confirmado e outro Detonado!

Motos: Harley-Davidson Sportster 883, Harley-Davidson Road King, etc.

Moderadores: Administradores, Moderadores, Colaboradores Harley-Davidson

Responder
Russo
Mensagens: 1191
Registrado em: 19 Mar 2008, 23:12
Localização: Curitiba
Contato:

31 Jan 2012, 09:12

Ae Kameraden...

Passeio básico de 1.000 km (CWB-Erechim-CWB) com a HD FX Deuce. Alforjes e baú carregados, tanque cheio, D. Russa na Garupa e vambora.

Os mitos:

1. HD perde parafusos e peças pelo caminho. CONFIRMADO!
Na sexta à tarde, 27/01/12, na chegada a Erechim, constatei a perda da pedaleira direita da garupa e de um dos parafusos do suporte de alforje.

2. Harley carburada é melhor que injetada, pois qualquer mecânico de beira de estrada mexe nela. DETONADO!
Uns poucos Km antes de chegar a Erechim, senti a motoka falhar um pouco... sujeira na gasolina, pensei.
Reabasteci com VPower e as falhadas continuaram. Então resolvi alterar um pouco a regulagem do Suricat (módulo de potência) e as falhas sumiram.

No domingo cedo, 29/01/12, saímos de Erechim rumo a CWB, com planos passar o dia (e pernoitar) nas Termas de Ita, a uns 100 km de . Aí começou a "via crucis". Nos primeiros 20 km a motoka estava perfeita mas, à medida que o tempo passava, ela ia perdendo potência... o giro caia cerca de 500 rpm a cada 15 minutos, ao ponto dela não passar de 120, depois de 100 e finalmente, não conseguir atingir sequer 80 km/h. Com muito custo, consegui chegar a Ita ( foi aí, praticamente dentro do Hotel, que a D.Russa torceu o pé e caiu, machucando ambos os joelhos, as mãos e fazendo um calombo do tamanho de um ovo na testa. Peguei a motoka e fui numa farmácia comprar uns analgésicos, e para meu espanto, ela estava excelente... apliquei uma pomada e fiz umas massagens na D. Russa e fomos aproveitar as piscinas.

Na segunda, cedo, pegamos o rumo de casa e, de novo, a mesma história, o desempenho da motoka passou de excelente para bom, depois para regular, sofrível e péssimo em menos de 80 km.
Parei então numa borracheria de Posto à beira da estrada e resolvi ver o que estava acontecendo com a motoka. Saquei fora as velas e elas estavam esbranquiçadas e secas, sintoma típico de mistura pobre. Com a ajuda de dois rapazes, arranjei um balde, drenei o combustível e tirei o tanque para acessar o módulo de potência, pois a minha suspeita era que estivesse em curto, uma vez que ele atua enriquecendo a mistura. Recoloco o tanque, retorno o combustível e saio para um teste. Não consegui rodar 500 m, a motoka pipocando toda, sem conseguir passar dos 60 km/h. Diagnóstico: era o Suricato que estava conseguindo segurar a barra da motoka. A origem do defeito estava ou no sistema de alimentação ou no módulo de injeção.

Um dos rapazes que estava na borracharia me disse que havia um cara que "mexia com motos" em Irani, uma cidadezinha próxima, e me acompanhou até lá. Era revenda multimarcas que, embora pequena, era bem organizada, com oficina, escritório, setor de peças e banheiro. Nela trabalhavam o dono, chamado Gilson e um ajudante. Na entrada, haviam algumas motos à venda, todas usadas ( três Biz, três CGs, duas XTZ, uma TDM 225 e algumas chinesinhas). Na oficina, algumas 125, a maioria motokas de trilha.

Aqui começa a ser detonado o mito da vantagem das motos carburadas, pois Irani tem 13.000 habitantes, e a maior moto da cidade é uma Shadow 600, que pertence ao dono da oficina.
De novo, esgotamos e retiramos o tanque e o mecânico disse que seria necessário tirar todo o sistema de alimentação (bomba de gasolina, válvula de alívio e bicos injetores) para testar. Ele disse que não tinha os recursos para fazer os testes em sua oficina, mas que havia uma oficina de automóveis ali perto, a uns 500 m, que dispunha de mais recursos. Retiramos o sistema de alimentação e fomos até a tal oficina. O primeiro teste foi com a bomba de combustível. Ela não estava queimada, mas estava "nas últimas", mal conseguia manter 2 kg de pressão quando fria e ia perdendo rendimento na medida que trabalhava e esquentava, o que explicava a perda de rendimento da motoka na estrada.

O rapaz dessa oficina foi até o estoque e voltou com uma bomba idêntica, novinha, na caixa: Bosch F 000 TE0 103, que equipa Gol, Parati, Pálio, Siena, etc, etc. Aproveitou também para testar os bicos injetores, que são os mesmos do Gol! De volta à oficina, montamos tudo de novo e pé na estrada.

Tempo gasto na despontagem, teste e remontagem do sistema de alimentação: 3 h (das 13 às 16 h)
Total gasto: R$ 320, sendo R$ 230 da bomba, R$ 10 dos testes e R$ 80 da mão de obra do mecânico de motos.

Fica, então, detonado o mito de que as Harleys carburadas são melhores porque qualquer mecânico de beira de estrada conserta.
Na realidade, qualquer Harley pode ser consertada na beira da estrada, eheheheheh...

Agradecimentos especiais:
Big Gil Motos - Irani/SC
Mecânica Remi Auto Peças - Irani /SC

PS.
Daqui a pouco eu vou sair para comprar uma pedaleira nova para substituir a que caiu... custa "apenas" R$ 470 o par...
" A smooth sea never made a skilled mariner "
Andre Tovar
Mensagens: 120
Registrado em: 24 Dez 2008, 14:25
Localização: São Lourenço
Contato:

31 Jan 2012, 17:20

Valeu Russo,
ótimo texto esclarecedor.

1. A minha nunca perdeu nada pelo caminho... só parte da minha bagagem que eu amarrei errado. rsrsrs

2. Confirmado porque H-D parece um VW.
("bomba idêntica, novinha, na caixa: Bosch F 000 TE0 103, que equipa Gol, Parati, Pálio, Siena, etc, etc. Aproveitou também para testar os bicos injetores, que são os mesmos do Gol!")
Rafael Nicolau
Mensagens: 127
Registrado em: 16 Set 2010, 11:07
Localização: Jundiaí

02 Fev 2012, 10:52

mas esse negócio de cair peça não é falta de reaperto não?

Na minha mirage a anta do mexanico parafusou errado o filtro de ar, no meio da estrada me saiu voando filtro de ar, capa do filtro e tudo mais...


Ele me deu uma peça nova (depois de umas ameaças de processo...) mas aí montou errado de novo, saí de lá, parei num posto e reapertei.

Aqui em jundiaí tem um mecanico muito famoso que mexe em harleys, ele recomenda um reaperto geral pelo menos a cada 6 meses...
Russo
Mensagens: 1191
Registrado em: 19 Mar 2008, 23:12
Localização: Curitiba
Contato:

02 Fev 2012, 12:00

Rafael Nicolau escreveu:mas esse negócio de cair peça não é falta de reaperto não?
...
Aqui em jundiaí tem um mecanico muito famoso que mexe em harleys, ele recomenda um reaperto geral pelo menos a cada 6 meses...
Eu checo o torque dos parafusos das minhas motos a cada 2 ou 3 meses, comprei até um torquímetro de agulha para essa finalidade...

... entretanto, não é mole percorrer os 180 km de buracos que existem entre São Mateus do Sul e Gen. Carneiro com uma moto que vibra prá kct...
" A smooth sea never made a skilled mariner "
Avatar do usuário
queiroga
Mensagens: 26
Registrado em: 18 Set 2008, 13:38
Localização: Rio de Janeiro
Contato:

02 Fev 2012, 13:06

Pessoal,

oque faz os parafusos afroxarem é a vibração. Como as harley são iguais a batedeiras, os parafusos afrouxam mais rapidos.....

Tenho esse mesmo problema nos meus aeromodelos e a solução é a trava química, chamada por muitos de cola para parafusos. vc aplica uma gotina na rosca, 24hs depois o parafuso não solta mais sozinho, mas se usar a chave o parafuso solta normalmente. uma bisnaga de trava quimica custa umas 10 Dilmas em qualquer loja de ferramentas.

Um detalhe as vermelhas são mais fortes que as azuis. eu uso a que eu achar na loja, mas se for para os parafusos grande como pedaleiras, suportes, etc... recomendo a vermelha.

[]'s
Eu não patrocino o crime... NÃO compro peças roubadas!

EX: Intruder 125; Lander 250
Russo
Mensagens: 1191
Registrado em: 19 Mar 2008, 23:12
Localização: Curitiba
Contato:

02 Fev 2012, 16:47

queiroga escreveu:Pessoal,

oque faz os parafusos afroxarem é a vibração. Como as harley são iguais a batedeiras, os parafusos afrouxam mais rapidos.....

Tenho esse mesmo problema nos meus aeromodelos e a solução é a trava química, chamada por muitos de cola para parafusos. vc aplica uma gotina na rosca, 24hs depois o parafuso não solta mais sozinho, mas se usar a chave o parafuso solta normalmente. uma bisnaga de trava quimica custa umas 10 Dilmas em qualquer loja de ferramentas.

Um detalhe as vermelhas são mais fortes que as azuis. eu uso a que eu achar na loja, mas se for para os parafusos grande como pedaleiras, suportes, etc... recomendo a vermelha.

[]'s
Locktite rules... eu uso e arrecomendiu, eheheh...
" A smooth sea never made a skilled mariner "
zé chopper
Mensagens: 105
Registrado em: 19 Jul 2011, 21:52
Localização: São José do Rio Preto
Contato:

06 Fev 2012, 21:08

a solução pra perça de parafusos, é comprar a moto e no dia seguinte, trocar todos os parafusos por autor travantes, ah não se esqueçam de inox, senão é um poço de ferrugem...

As carburadas são teoricamente fáceis de arrumar, isso tambem é meio mito, pois vc engana o defeito, regulando os carburas pra encobrir um defeito que não é regulagem, já nas injetadas o sistema entra em pane se estiver comprometido.

peças?? quase toda moto em relação a eletrica algumas partes mecanicas são subistituiveis, isso é fato. bomba de gasolina, bicos, reles, sondas, cdi´s (as vezes se programando o mesmo mapa até dá certo, estatores, retificadores, condesadores, etc) enfim, pra quem realmente entende nada é impossivel, a não ser um talho no cabeçote, um cambio ferrado, isso sim é problema.

o resto não é problema, é falta de conhecimento..
Bruno_VermesMC
Mensagens: 98
Registrado em: 13 Ago 2013, 18:54
Localização: Campinas
Contato:

26 Nov 2015, 19:51

O fato de ter arrumado facilmente uma moto injetada não prova que é mais fácil de arrumar que uma carburada. Até porque precisou de alguém com certos recursos para fazer.

Eu não troco a minha carburada.
E comprando uma nova vou converter ela ao carburador!!!!

Nessa última parece coisa de pregador televisivo: "Venham ao culto do carbura!!!!"
BRUNO - VERMES M.C.
Responder